1001 UTILIDADES DO BAMBU

Em um contexto internacional em que a palavra de ordem é sustentabilidade, Benito Gonzales, professor do Departamento de Desenho Industrial, da EBA já tem a sua aposta para as tendências futuras do mercado: o bambu.1001 utilidades do bambu

À frente do Laboratório de Ensino para a Produção de Utensílios em Bambu e Construções Arquitetônicas, Benito destaca a utilidade deste material para o Ecodesign “pela variedade de produtos que podem ser desenvolvidos com bambu: desde utensílios domésticos, pisos, paredes, mobiliário, construção habitacional, paisagismo. Tudo em um contexto renovável”.

Com uma resistência mecânica comparável ao aço, o bambu movimenta uma economia considerável na Ásia e, de forma crescente, na América Latina. Cerca de dois bilhões de pessoas se valem do bambu em suas moradias, sobretudo na China e na Índia, mas também no Equador, na Colômbia e no Brasil. 

Há 12 mil espécies de bambu catalogadas no mundo. Altamente renovável, sua colheita pode ser feita em sete anos, sem prejuízo ao meioambiente.Como explica Benito, tem do bambu 1001 UTILIDADES qualidades como o uso potencial em ambientes degradados, alta taxa de seqüestro de Carbono, o rápido crescimento e a estruturação do solo no qual se desenvolve. Possibilita o aumento do fluxo de água das nascentes de rios graças à capacidade de retenção de suas raízes e também combate a erosão do solo.

Benito aposta no bambu como tendência do mercado.As espécies mais usadas são Bambusa vulgaris, Phyllostachys áurea, Bambusa gradua, Dendrocalamus giganteus. As duas últimas, pela espessura de suas paredes, são usadas principalmente na construção civil. No estado do Rio de Janeiro existem muitos sítios de bambu, nativo ou plantado, sobretudo na Região Serrana e no Vale do Paraíba.

Em um projeto – ainda não implementado – que alia Ensino, Pesquisa e, sobretudo, Extensão, aprovado em edital lançado por Furnas Centrais Elétricas S.A., a UFRJ lançará a Oficina Social de Bambu, coordenada por Benito Gonzales. “Será um curso de capacitação profissional de 15 jovens selecionados pela Organização Não-governamental Rede Vida, no Complexo da Maré, em processamento de matéria prima e produção de objetos em bambu, visando à geração de renda, educação ambiental, formação profissional e desenvolvimento técnico, pela utilização do ecodesign na elaboração de produtos. Além de qualificar estudantes da UFRJ na prática de gestão de projetos”, pormenoriza o professor.